Uma simples camiseta pólo vendida no Canadá e confeccionada em Bangladesh custa ao lojista apenas 5,67 dólares. Para chegar a esse valor super baixo, os trabalhadores recebem míseros 12 centavos de dólar (ou aproximadamente 30 centavos de reais), o que é apenas 2% do preço do atacado. Essa desigualdade descreve a efervescente indústria de vestuário de Bangladesh, onde as pessoas que fazem a roupa são as mais pobres da cadeia de produção. Esse gráfico mostra o que muitas pessoas fingem não enxergar.

Quando a gente compra uma camiseta qualquer em um grande varejista, por um preço muito baixo (10,12,15 reais) com certeza alguém está recebendo um pagamento ridículo e trabalhando em condições absurdas. Vejo as pessoas comprando roupas e roupas que não precisam em sites da China, por 10, 12 dólares, sem ao menos pensar nas pessoas que estão por trás daqueles valores que soam tão atrativos. Eu já trabalhei e trabalho diariamente com costureiras e muitas vezes me pego pensando como elas conseguem passar um mês inteiro com salários que recebem (sério, façam esse exercício e se imaginem no lugar do outro)

É aquela coisa: não adianta só comprar alimentos orgânicos ou usar uma sacola reutilizável no supermercado- claro, isso é super importante, mas sozinho não basta. É preciso repensar o consumo, escolher peças de roupa fabricadas localmente, no nosso país, que tem tantas criações incríveis; é necessário deixar de lado a ideia de comprar uma roupa que vai durar 3 ou 4 lavagens; abandonar modismos que não nos fazem mais felizes; dizer sim para inciativas que pensem nas pessoas que fabricam as peças – pensar no próximo sabe? Acreditar na compra como um instrumento para mudar a nossa realidade.

Para finalizar, quero deixar com vocês uma frase incrível, do livro Consumo Consciente e Comércio Justo, de Elias Fajardo:

“Na outra ponta da cadeia do comércio justo, e igualmente importantes, estão os consumidores que preferem, na hora da compra, agir com base em sua sensibilidade social e consciência. Eles entendem, por exemplo, que, ao apoiar pequenos produtores com pouco acesso ao mercado, estão exercendo sua cidadania e contribuindo para melhorar a sociedade em que vivem. São eles, em última análise, que sustentam o comércio justo, pois ao comprar tais produtos mostram interesse em mudar as regras no jogo do comércio.”

Fonte informativa: http://goo.gl/2YTQMt

 

Quanto uma camiseta de $14 realmente custa?
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone
Classificado como:    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *